Na foto, o diretor da Anclivepa Minas, dr. Diego Lima (esq) e o presidente da Anclivepa Minas, dr. Abílio Domingos (dir)

Coordenada pelo CRMV-MG, a equipe de profissionais voluntários encerrou no último sábado (9) os trabalhos desempenhados no resgate, acolhimento e tratamento de cerca de 400 animais, em virtude do rompimento da barragem de Córrego do Feijão, em Brumadinho. As ações desempenhadas ao longo de 16 dias de trabalho ininterrupto contaram com a participação da Associação Nacional de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais de Minas Gerais (Anclivepa Minas), que foi fundamental para que as ações fossem realizadas com êxito.  


A Anclivepa Minas atuou no sentido de contribuir com a coordenação dos trabalhos em Brumadinho, assim como na estruturação do hospital de campanha, como ressalta o presidente da associação, dr. Abílio Rigueira Domingos. “A Anclivepa foi responsável por idealizar o hospital de campanha em Córrego do Feijão, realizando o projeto e determinando como seria sua estruturação e quais equipamentos seriam necessários. Além disso, apoiamos o CRMV-MG na divulgação dos comunicados referentes as ações desempenhadas em Brumadinho. Desempenhamos o trabalho com maestria, sobretudo na fase reativa, onde organizamos as primeiras deliberações junto ao Conselho”, afirma o médico veterinário.


As ações desempenhadas pelo CRMV-MG em Brumadinho também contaram com a participação da Escola de Veterinária da Universidade Federal de Minas Gerais (EV-UFMG), da World Animal Protection (organização internacional de bem-estar animal sem fins lucrativos), de voluntários e de ONGs, como a Federação Humanitária Internacional Fraternidade e a Arca da Fé Resgate Animal. Uma médica veterinária contratada pela Vale também compôs o grupo, do qual o trabalho consistiu em resgatar os animais, encaminhando-os até duas fazendas viabilizadas pela mineradora, onde foram realizados os procedimentos de acolhimento e dos tratamentos necessários.